Gonorréia


Conceito           Transmissão           Sintomas           Tratamento


Conceito

A Gonorréia, ou também chamada de Blenorragia, é uma das mais freqüentes entre as DSTs. É causada por uma bactéria chamada Neisseria Gonorrhoeae (Gonococo). Esta é uma DST de transmissão essencialmente sexual, e altamente contagiosa. Sua contaminação pode ocorrer, tanto no sexo vaginal, quanto no anal e oral, causando esta doença em localizações diferentes e com sintomas e características próprias.

topo

Transmissão

Assim como as outras DSTs de transmissão essencialmente sexual os adultos não pegam Gonorréia por roupas íntimas contaminadas ou vaso sanitário sujo. Porém as crianças, especialmente as meninas até a adolescência o contato direto, não sexual, com o Gonococo, através do adulto infectado ou objetos recém-contaminados como toalhas e tampas de vasos sanitários podem provocar à doença. Isso porque na menina a vulva e a vagina não apresentam resistência à infecção, diferentemente da mulher adulta. O Gonococo não ultrapassa a barreira placentária e portanto não é transmitido da mãe para o filho intrauterinamente, todavia ao nascer por parto normal, a criança pode entrar em contato com secreções maternas contaminadas e adquirir uma infecção ocular pelo Gonococo, que é a conjuntivite gonocócica.

topo

Sintomas

Os sintomas esta doença vão depender principalmente da porta de entrada, ou seja, do local onde o Gonococo foi introduzido, e isto depende do tipo de coito onde se deu a contaminação. No coito vaginal, os sintomas surgem cerca de 2 a 5 dias após o contágio, mas podem demorar até 15 dias para aparecer. Os sintomas são:

No homem:

  • coceira na uretra (canal do pênis);

  • ardência e dor ao urinar;

  • secreção purulenta (parecida com pus) que pode ser amarelada, esverdeada ou até escurecida quando há sangue misturado, saindo da uretra por vezes abundantemente e com odor forte;

  • pode ocorrer vontade freqüente de urinar (polaciúria) e um urinar bem doloroso "gota a gota" (estrangúria).

Na mulher:

  • coceira e ardência;
  • corrimento purulento quase sempre com odor forte;
  • polaciúria e estrangúria surgem em casos mais complicados.

Já no coito oral pode ocasionar faringite ou amigdalite gonocócicas em ambos os sexos. E no anal, o que pode acontecer é haver dor ao evacuar prurido e ardência anais e presença de pus e sangue nas fezes, além da vontade constante e dolorosa de evacuar sem conseguir, tanto na mulher quanto no homossexual passivo.

São inúmeras e bastante graves as complicações de uma Gonorréia não tratada, tratada errado ou insuficientemente. O Gonococo pode se propagar ascendendo pelas vias urogenitais causando infecção de estruturas ao longo deste percurso podendo acarretar esterilidade ou impotência sexual.

No homem pode infeccionar glândulas, como a próstata podendo levar à queixa de impotência progressiva ou até os testículos onde pode haver diminuição da produção de espermatozóides e consequentemente infertilidade. Na mulher pode infeccionar o útero ou as trompas, que causam fortes dores na barriga, principalmente durante o relacionamento sexual. Outra possibilidade, felizmente mais difícil, é a infecção de outras áreas fora do trato genital, como:

  • coração (endocardite gonocócica);

  • articulações (artrite gonocócica);
  • meninges cerebrais (meningite gonocócica);
  • fígado.

Finalmente, uma mais grave e rara complicação é a infecção generalizada por Neisseria gonorrhoeae, que pode ser fatal.

topo

Tratamento

O tratamento da Gonorréia, como de qualquer outra moléstia, deve ser feito sempre por médicos, visto que a ingestão desordenada de antibióticos, nem sempre indicados para o caso, com doses insuficientes, horários de tomada erradamente estabelecidos, etc., pode dar origem a complicações por vezes sérias, como a propagação dos gonococos para a próstata, as vesículas seminais, os epidídimos e os testículos, no homem, ou para o útero, as trompas e os ovários nas mulheres. Por outro lado, a administração errada de antibióticos dá origem ao aparecimento de resistência à ação dos mesmos, agravando cada vez mais o quadro desta moléstia em todo o mundo.

Seguindo-se as recomendações médicas com zelo a doença pode desaparecer por completa sem deixar qualquer vestígio.

topo